Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

ETAP-virt 2023: Exercício de Paraquedistas

Durante o exercício ETAP-virt 2023, são efetuados treinamentos conjuntos e coordenados entre as esquadras de voo multinacionais e os Paraquedistas do Exército.

Através desta simulação, treina-se contexto e cenários específicos no âmbito deste exercício.

Estes treinos possibilitam a operacionalização e aprimoramento das intervenções potenciais que requerem a atuação dos Paraquedistas. Essa abrangente preparação engloba desde os procedimentos de deslocamento até os lançamentos no campo de ação em terra.

A interoperabilidade entre os participantes constitui um dos traços centrais deste exercício, destacando-se como um dos principais benefícios. Tal sinergia manifesta-se na oportunidade singular de compartilhar conhecimentos e experiências entre os pilotos e os Paraquedistas.

As largadas de paraquedistas militares ocorrem a diferentes altitudes, dependendo das circunstâncias, do tipo de missão e dos procedimentos operacionais. Em geral, as altitudes comuns para as largadas de paraquedistas militares variam entre 800 e 12.000 pés (aproximadamente 240 a 3.660 metros) acima do solo. No entanto, as largadas podem ocorrer em altitudes superiores ou inferiores a essa faixa, dependendo das necessidades específicas da missão.

As condições de voo para realizar uma largada de paraquedistas militares são rigorosamente avaliadas e levam em consideração diversos fatores para garantir a segurança dos paraquedistas. Alguns dos principais fatores incluem:

1. **Visibilidade:** A visibilidade deve ser boa o suficiente para que os paraquedistas possam identificar a zona de aterragem e quaisquer obstáculos potenciais durante o salto e a descida.

2. **Condições Meteorológicas:** As condições meteorológicas, como ventos fortes, turbulência, tempestades elétricas e neblina densa, podem afetar a segurança dos paraquedistas durante a largada e a queda livre. É essencial que as condições meteorológicas estejam dentro dos parâmetros seguros para a operação.

3. **Altitude e Velocidade da Aeronave:** A altitude da aeronave no momento da largada e sua velocidade são determinantes para calcular o tempo de queda livre e a abertura segura dos paraquedas. Esses fatores são essenciais para garantir que os paraquedistas tenham tempo suficiente para realizar suas manobras e abrir seus paraquedas adequadamente.

4. **Espaço Aéreo e Zona de Aterragem:** A disponibilidade de espaço aéreo adequado e uma zona de aterragem segura e designada são essenciais para que os paraquedistas possam aterrar em segurança após o salto.

5. **Comunicação e Coordenação:** Uma comunicação clara entre a tripulação da aeronave, os paraquedistas e as equipes no solo é fundamental para garantir que todos estejam cientes das condições de voo, da altitudade de largada e das instruções operacionais.

É importante ressaltar que as largadas de paraquedistas militares são conduzidas com um foco absoluto na segurança e no cumprimento dos procedimentos operacionais. As condições de voo são rigorosamente avaliadas e as decisões são tomadas com base na experiência dos pilotos, nas condições meteorológicas e nas necessidades da missão para garantir a integridade e a segurança dos paraquedistas envolvidos.

pics by “Dedinhos”

Deixe um comentário

0.0/5