Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Uruguai – Search Rescue

O procedimento de Busca e Salvamento é algo que deve ser estudado e treinado.

Este procedimento carece do estudo e análise da situação e das características existentes.

Se pudéssemos apresentar uma estrutura poderia ser algo como:

Informações/ alerta – levantamento de dados – análise de situação – avaliação da situação – seleção de meios – aplicação dos meios.

No entanto temos de considerar que os dados iniciais são mutáveis e por isso devemos sempre reavaliar a situação nas fases seguintes.

Erros de posição / área de busca

Quando a área de busca é realizada em terra podemos considerar que é “fácil” dizer à vítima que se mantenha no local. No mar há outras variáveis como por exemplo se a embarcação tem condições para manter a mesma posição ou se encontra-se à deriva (temos de considerar as marés ou ventos) e se há por exemplo condições técnicas para comunicar posições.

Assim, numa missão de SAR, temos de considerar sempre os erros de posição e a última posição conhecida.

É a partir da última posição conhecida que se avança para as fases seguintes.

É com orgulho pois que a 509th Tigers realiza este tipo de missão de uma forma estruturada e regular, elaborando cenários para simulador e treinando para que uma missão de SAR não seja uma questão de sorte.

É ainda maior orgulho pensar na área coberta pela Força Aérea Portuguesa e a sua missão de Busca e Salvamento, por vezes no limite das capacidades das aeronaves visto que as tripulações ultrapassam sempre o seu melhor, surpreendendo pelas suas capacidades e valores.

 

 

O que nos esperava nesta missão?
“Nas últimas horas saiu um navio do Porto de Montevidéu com destino a Río Grande, Brasil, com 4 tripulantes e 17 passageiros. Após uma hora, a embarcação perdeu contato com o radar marítimo. A Marinha e a Força Aérea Uruguaia ativaram o procedimento de SAR (Busca e Resgate). Um grupo de pilotos deve reportar a posição da embarcação e outro resgatar seus ocupantes. Grupo de Pilotos 1 “AVIÃO” Aeroporto Dep / Arr: Aeroporto Internacional Carrasco (SUMU) Grupo de Pilotos 2 “HELICÓPTERO” Aeroporto Dep / Arr: DEP Capitán Curbelo Intl (SULS) / ARR El Jagüel Departamental (SUPE) Ao contrário do real, nesta missão estavam presentes imensas aeronaves no procedimento (parabéns pela enorme participação) o que tornou mais fácil o reconhecimento da posição da embarcação. Posteriormente foram enviados para o local vários helicópteros para o resgate das vítimas.
Sabias que:
  • Em Portugal, as aeronaves de asa fixa desempenham, na maioria das vezes, o procedimento de busca utilizando para isso padrões de busca (ver vídeo mais abaixo).
  • A asa fixa devido à sua velocidade atinge as coordenadas mais rapidamente e procede à busca do objetivo e encaminha o helicóptero para o alvo. Mantêm-se por cima do objetivo por segurança e para efectuar relé de informação para o MRCC. Se for o caso, poderão de ter reportar alguma emergência com tripulação de helicóptero, lançar barcos de salvamento, e aguardar o mais possível por outro meio de salvamento aéreo ou naval.
  • O padrão escolhido normalmente é de acordo com a entidade que Maritime Rescue Coordination Center (MRCC) que faz os cálculos de deriva. Poderão ser alterados com o reporte de condições no local pelos meios aéreos ou navais.
  • Poderá ser lançada uma marca de fuma para sinalizar o objetivo aquando da sua descoberta, ou para calcular a deriva actual.
  •  As aeronaves de asa fixa, em busca, utilizam sempre padrões de busca, o mesmo se aplica a helicópteros ou navios de busca e salvamento.
  • As aeronaves de asa rotativa recebem as coordenadas e procedem ao resgate/ salvamento.
  • Por vezes, a aeronave de asa fixa lança botes às vítimas (quando necessário) até ao seu salvamento.
  • A aeronave de asa fixa mantém-se no local do salvamento, reportando informações importantes e acompanha o regresso do helicóptero até à base colaborando assim no sucesso da missão.
  • Em Portugal, a esquadra 751 Pumas é companheira das esquadras Elefantes, Bisontes e Lobos nas suas missões. São “irmãos” nestas missões.
  • A 509th Tigers realizou para simulador duas texturas especiais do eh101 da esquadra 751 (vê  o artigo)

Um enorme obrigado Ivo Pinto.

“Patch da esquadra 751 – Num fundo preto está inscrito o lema da Esquadra 751 a letras brancas – “Para que outros vivam”. A dualidade destas duas cores, branco e preto, representam a capacidade da mesma, de efetuar missões de salvamento de dia e de noite.

EMFA

Padrões de busca